Notícias

  • 25/04/2017

    ProFuturo - Aula Digital levará novas tecnologias educacionais para Manaus

    Grande parte dos estudantes da Escola Municipal Manoel Adriano, na zona rural de Manaus, mora em regiões afastadas da cidade, onde o acesso à tecnologia e ao transporte é precário. Diariamente, elas percorrem longas distâncias até chegar à escola, e lá passam grande parte do tempo e fazem as principais refeições do dia. A cena é comum em um ambiente geograficamente complexo e de grande vulnerabilidade social na capital do Amazonas.

    Em 2016, a realidade dos alunos ganhou uma nova perspectiva quando escola foi selecionada para participar do ProFuturo - Aula Digital, projeto da Fundação Telefônica Vivo. Ao todo, 140 escolas da região serão atendidas em 2017, e cerca de 30 mil alunos dos três primeiros anos do Ensino Fundamental I serão beneficiados.

    O ProFuturo - Aula Digital é uma iniciativa global da Fundación Telefónica e da Fundación Bancaria “La Caixa”, ambas espanholas, que visa melhorar as oportunidades das crianças na África, Ásia e América Latina incorporando a inovação nas escolas por meio da tecnologia e de novas metodologias de ensino e aprendizagem.

    Cada educador terá 40 horas de formação presencial com temas ligados à inovação educativa e acesso a conteúdos pedagógicos digitais em um ambiente virtual de aprendizagem colaborativo. As escolas serão beneficiadas com kits compostos por uma maleta móvel equipada com notebook, roteador e tablets para alunos, além de projetor e tela de projeção para que os conteúdos também sejam oferecidos em locais onde não há estrutura ou conexão.

    Manaus é a primeira cidade do país a receber o ProFuturo - Aula Digital, em uma parceria com a Secretaria Municipal de Educação da cidade. A iniciativa foi oficializada no dia 20 de abril em um evento que contou com a presença de 200 educadores, parceiros e autoridades do município.

    Para o presidente da Fundação Telefônica Vivo, Americo Mattar, a riqueza do ProFuturo - Aula Digital está justamente nas infinitas possibilidades de inovação que podem surgir a partir da parceria. “Essa iniciativa é um marco em nossa atuação e uma oportunidade de utilizarmos a tecnologia como um instrumento a serviço da educação. Não existe um modelo rígido, cada escola tem a liberdade de inovar da forma que quiser, utilizando o fator humano como ponto central”.
voltar